A pior equipa da Europa esteve quase a fazer uma gracinha

small-170608-233841-bas080617spo-0095-638x425

É o Benevento. A equipa conseguiu na temporada passada a promoção à Série A italiana, pela primeira vez na história do clube, mas ocupa neste momento, com 12 jornadas disputadas, o último lugar da tabela e com o negro registo de zero vitórias e zero empates, cinco golos marcados e 31 sofridos! Na última jornada, ainda esteve a vencer em Turim, a Juventus, por 0-1, mas os campeões italianos acabaram por dar a volta ao marcador.

Olhando para nove campeonatos europeus, logicamente incluindo os cinco principais, ninguém está pior que o Benevento, que já conta com o incómodo recorde de nunca antes na história do futebol italiano ter existido uma equipa com um arranque tão mau, com zero pontos conquistados nesta fase da competição. Mais, a equipa do sul de Itália igualou o pior arranque de sempre nos principais campeonatos da Europa, que estava na posse do Man United (1930/31).

Mas olhemos para as equipas em pior momento de outros oito campeonatos na Europa:

Crystal Palace é o lanterna vermelha da Premier League, com apenas uma vitória, um empate e nove derrotas (4/22 em golos).

Málaga fecha a tabela do campeonato de Espanha, com apenas uma vitória, um empate e nove derrotas (6/23).

Na Alemanha, o Colónia teima em não sair do último posto, somando nesta fase dois empates, zero vitórias e nove derrotas (14/22).

Olhando para França, está sem brilho o Metz, que conseguiu só uma vitória e 11 derrotas (5/24).

No nosso Portugal, sente muitas dificuldades o Estoril que em todas as provas soma 10 derrotas consecutivas e, na Liga, não foi além de duas vitórias e nove derrotas (8/26).

Num saltinho ao campeonato da Rússia, vemos em último lugar o SKA Eneriya, com duas vitórias, seis empates e oito derrotas (24/12).

Na Roménia, o peso está nos ombros da Juventus de Bucareste, com uma vitória, cinco empates e 10 derrotas (27/18).

Finalmente, o exemplo da Bulgária, onde o Vitosha Bistritsatem dois empates e 13 derrotas (37/29).

Ou seja, o Benevento é mesmo a equipa que mais impressiona, pela negativa.

Olhando um pouco para a história deste clube fundado em 1929, mas refundado algumas vezes, os seus jogadores são apelidados de feiticeiros, porque Benevento é conhecida em Itália como sendo a Cidade das Bruxas, nome que vem da colonização da Itália Bizantina por parte do povo Lombardo, por volta de 568, e dos ritos pagãos ali realizados.
O Benevento é um clube que vinha vivendo uma época dourada, com duas subidas de divisão consecutivas e um investimento razoável para se afirmar na Série A, ainda que não conte com estrelas num plantel maioritariamente formado por italianos: 20 dos 30 elementos do grupo.
O treinador é também ele italiano: Roberto de Zerbi, de 38 anos.

Os feiticeiros, porém, estão com dificuldade em acertar na magia certa para funcionar na Série A. 12 derrotas seguidas, a que junta uma 13.ª, na Taça.

Comentar

Comentários