Amor. Nem sempre recebemos o que damos

amorr


Começaram a namorar. Ela gostava mais dele do que vice-versa. O tempo foi passando e, quanto mais passava, mais ele a amava. A certa altura, ele deu conta que o seu sentimento por ela já era mais forte do que ao contrário. Desde então, e até ao dia em que acabaram, foi sempre assim. Com ele a gostar mais dela, apesar de ter sido ela a gostar mais no início. E isto acontece muitas vezes. Nas nossas relações, nas relações que nos rodeiam. Às vezes é fácil, estando de fora, observar a força do amor num casal. Quantos de nós já não disse que vê-se claramente que fulano gosta mais dela do que ela dele? Ou ela, dele? O amor não tem pratos de balança, mas se tivesse, garanto-vos que raramente estariam iguais. E numa relação, as duas partes têm que saber lidar com isto. Se forem felizes assim, com um a gostar mais do outro, ninguém tem nada a apontar. Porque amor é amor. Podemos até dar mais do que recebemos, mas se o que recebemos nos deixa felizes, não percam tempo em pensar muito e aproveitem o amor. Viver sem amar, é como chorar sem lágrimas. Não fomos feitos para isso…

Comentar

Comentários