Apresentadora arrisca prisão por falar de mães solteiras

egipto

Doaa Salah enfrenta uma pena de até três anos de prisão por “atentado ao pudor” por ter discutivo a possibilidade da mulher ser mãe solteira durante o seu programa de televisão.  Para além da decisão, conhecida na sexta-feira, o tribunal também ordenou que pagasse uma caução de 10 mil libras egípcias (cerca de 487 euros) para que pudesse aguardar julgamento em liberdade.

O caso remonta, no entanto, a julho, altura em que um advogado a acusou do crime após ter visto o seu programa no canal de televisão An-Nahar.  No programa, avança o The Guardian, Salah discutiu a possibilidade de uma mulher se tornar mãe solteira, sugerindo que pudesse casar apenas para conceber e, depois, pedisse o divórcio.

De seguida, a apresentadora pediu a opinião do público sobre o assunto, mas terminou o programa a dizer que “toda a gente rejeita a ideia [da gravidez fora do casamento]” e que “nem tudo o que acontece além-fronteiras poderia acontecer na sociedade [egípcia]”, onde o sexo fora do casamento continua a ser tabu.

Comentar

Comentários