Árbitro explica o cartão vermelho mais bizarro de sempre

nantes

O árbitro francês Tony Chapron, “suspenso até nova ordem” pela Federação Francesa de Futebol (FFF), pediu esta segunda-feira desculpas ao jogador do Nantes Diego Carlos, reconhecendo que o seu gesto foi “estranho e inadequado”.

Em causa está um choque, que a comissão de arbitragem da FFF, reunida de urgência, considerou “involuntário”, com o defesa-central brasileiro Diego Carlos, ex-Estoril que representa o Nantes, que levou o internacional Tony Chapron ao relvado já perto do final do jogo com o Paris Saint-Germain.

“Durante o jogo Nantes-PSG [0-1], fui atropelado por Diego Carlos, um jogador de Nantes. Na altura do choque, senti uma grande dor, numa lesão recente, e num gesto irrefletido estendi a perna na direção do jogador”, referiu Tony Chapron num comunicado enviado à agência AFP.

O árbitro internacional francês reconheceu que o gesto foi “estranho e inadequado”, pelo que endereçou já o seu pedido de desculpas ao central brasileiro Diego Carlos, que na sequência do lance foi expulso, devido à acumulação de cartões amarelos.

“Um relatório complementar foi já enviado ao Comité Disciplinar, para que o segundo cartão amarelo e consequente vermelho seja retirado a Diego Carlos. Após o visionamento das imagens, não me pareceu que fosse um gesto intencional”, referiu Tony Chapron, de 45 anos.

A FFF anunciou ainda que o árbitro Tony Chapron já foi retirado do jogo Angers-Troyes, de quarta-feira, referente à 21.ª jornada da Liga do futebol francês e que lhe tinha sido atribuído, e que será ouvido brevemente pelo comité disciplinar da Liga.

Comentar

Comentários