Há uma nova geração de acompanhantes de luxo que está a fazer furor

cortesas

Nas redes sociais, em especial no Instagram, não faltam fotografias de viagens às mais paradisíacas paisagens, sacos e sacos de compras nas lojas mais exclusivas, corpos tonificados, bebidas com todas as cores do arco-íris nas discotecas mais famosas do mundo,… Muitas são dos chamados ‘Meninos Ricos’ do Instagram mas, a pouco e pouco, começa a afirmar-se nesta rede social um grupo muito especial.

Autointitulam-se ‘cortesãs’ e ‘cortesãos’ e são a nova geração de acompanhantes de luxo. Jovens, bonitos, bem apresentados, com extremos cuidados com o corpo e com gostos (muito) caros. São cultos, gostam de viajar pelo mundo e não se coíbem de mostrar as prendas, luxos e maços de notas que recebem dos clientes. Nas redes sociais, têm um canal direto para mostrar o que gostam e o estilo de vida exclusivo que levam, ao mesmo tempo que podem angariar clientes. Eva Rodriguez trabalha em Paris e mostra regularmente os sapatos Louboutin, os vestidos Gucci, e as malas Louis Vuitton que recebe. “Nada melhor do que um homem generoso”, afirma. Abigail Hart tem 24 anos e já chegou a mostrar a ‘gorjeta’ de 450 dólares (423 euros) que recebeu de um cliente em Londres.

Também Darcy, que trabalha no Reino Unido, mostra a gentileza de um “admirador submisso” que lhe deixou flores na cama do hotel. No espectro masculino, o gigolo italiano que se identifica como igorgigolotop, no Instagram, aparece em várias fotografias que parecem saídas de anúncios de perfume. Em Paris, em Roma, em toda a Europa, surge muitas vezes acompanhado pelas clientes. Define-se como “um acompanhante de elite para as mulheres que necessitem de companhia”. São alguns casos de uma tendência crescente: o impacto das redes sociais e a possibilidade de publicidade vêm trazer a público estes acompanhantes de luxo 2.0, que fazem precisamente da opulência a sua imagem de marca, mais do que o s3xo.

Comentar

Comentários