“Em 30 anos vivi coisas que outros não viveriam em 200”

drenthe-real-rona

Royston Drenthe teve como ponto alto da carreira a passagem pelo Real Madrid, clube no qual ingressou em 2007, depois de ser eleito o melhor jogador do europeu de sub-21. A carreira entraria, então, numa curva descendente, levando o holandês a pendurar as botas, de forma precoce, aos 29 anos.

«Terminei porque não era feliz. Estava cansado, desiludido. Aconteceram-me coisas muito más e já estava nos Emirados. Um dia, disse: `basta, chegou a hora de acabar´», explicou Drenthe, em entrevista ao diário espanhol Marca.

«Tive problemas com empresários, com pessoas que se aproximaram de mim… Não quero dar nomes, mas no futebol há gente que não é honesta», lamentou, juntando: «Em 30 anos vivi coisas que outros não viveriam em 200…»

Comentar

Comentários