“O médico disse-me que era muito bom se votasse a andar”

Capturar

O médio espanhol Santiago Cazorla (Arsenal) revelou, esta sexta-feira, o calvário de dois anos, oito operações, uma infeção grave e a luta para contrariar a opinião dos médicos, que afastaram a possibilidade de voltar a competir. Aliás, que já seria bom conseguir andar tendo em conta a lesão no tornozelo direito.

Cazorla, em declarações à Marca, revelou como foi duro ouvir as palavras dos médicos. «Pode ficar satisfeito se conseguires voltar a andar com o seu filho no jardim».

A primeira fase da recuperação passava por tentar voltar a andar, um ano depois da operação ao joelho, foi novamente operado a uma lesão no tendão de Aquiles do pé direito.

O período de paragem seria de três semanas, mas o problema quase terminou com a sua carreira, porque quando chegou o momento de tirar os pontos, a ferida não fechava e voltava a abrir. Foi necessário ser operado oito vezes num ano.

Há um mês voltou a correr e revelou que o seu irmão chorou ao ver aquilo que ele tinha conseguido. O Arsenal mantém a confiança no jogador, renovou em novembro do ano passado até junho de 2018 e Cazorla garante que quer regressar nos próximos meses.

Comentar

Comentários